Fiocruz Fale com a Fiocruz Fundação Oswaldo Cruz
COLVEC • Coleção de Vetores da Doença de Chagas

Foto 1: Vista dorsal de um espécime de Triatoma maculata.
Por Cyro Soares.
A Coleção de Vetores da Doença de Chagas (COLVEC) localizada no Instituto René Rachou/ Fiocruz, em Belo Horizonte, estado de Minas Gerais é constituída por, aproximadamente, 13.200 espécimes distribuídos por 80 espécies de diferentes populações de triatomíneos (foto 1) provenientes da Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Guatemala, México, Panamá, Peru, Uruguai, Venezuela e Estados Unidos, e cerca de 600 espécimes de outras subfamílias da subordem Heteroptera do Brasil.

A Fiocruz/COLVEC,teve início a partir da doação da coleção particular do Dr. Hélio Espínola à Dra. Liléia Diotaiuti em 1996. A partir de então, o acervo passou a ser incrementado por exemplares testemunhos de diferentes projetos, captura silvestre, doações de instituições ou particulares, colônias mantidas pelo grupo de pesquisas em triatomíneos e insetos provenientes do serviço de referência em identificação de triatomíneos que é prestado às Secretarias Regionais de Saúde dos municípios de Minas Gerais.

Os exemplares da coleção são montados em alfinetes entomológicos e armazenados em gavetas, com o fundo coberto por material emborrachado do tipo etil-vinil-acetato (EVA). Estes espécimes são mantidos em armário específico para manutenção de insetos, em sala seca (foto 2). Para garantir a preservação dos exemplares, as gavetas são impregnadas periodicamente com naftalina. Além de espécimes alfinetados, a coleção também mantém exemplares de asas, patas, genitálias e DNA de triatomíneos criopreservado.


Foto 2: Armário de aço, contendo os exemplares.
Por Jéssica Tibúrcio.
Os registros da coleção são informatizados e desde 2010 estão disponíveis on-line através da rede speciesLink, e desde 2016 através do SiBBr garantindo, desta forma, o acesso público, divulgação e visibilidade do acervo.

A Fiocruz/COLVEC apresenta expressivo reconhecimento junto à comunidade científica e leiga, recebendo, anualmente, um número significativo de solicitações de serviço. O maior número delas é relacionado a treinamentos, doações de exemplares do acervo didático e depósito de exemplares. Em menor número a Fiocruz/COLVECC recebe solicitações de identificação taxonômica, empréstimo e consultoria técnica.

Além da prestação de serviços, a Fiocruz/COLVEC destaca-se por seu acervo científico e informações associadas que subsidiam diferentes tipos de pesquisas, como por exemplo, estudos sobre distribuição de espécies, possibilitando tomadas de decisão quanto ao controle vetorial de endemias.


© 2019 Coleção de Vetores da Doença de Chagas, Instituto René Rachou, Fundação Oswaldo Cruz